Adoração de Jó

Adoração de Jó

Então, Jó se levantou, e rasgou o seu manto, e rapou a sua cabeça, e se lançou em terra, e adorou. (Jó 1.20).

 

Após receber as sucessivas notícias das catástrofes que se abateram sobre a sua casa, fazenda e família, Jó agiu com fé, praticando atitude de humilde adorador. De imediato, ele não se deixou abater diante dos infortúnios. Antes se manteve fiel ao Senhor, dizendo estas palavras: Nasci nu, sem nada, e sem nada vou morrer. O Senhor deu, o Senhor tirou; louvado seja o seu nome! (Jó 1.21).

Qual foi a reação desse patriarca? Ele se levantou, rasgou o seu manto, rapa a cabeça e adora, demonstrando, assim, plena submissão, e humilhando-se diante da presença do todo-poderoso Senhor dos Exércitos. Levantar é está pronto para reagir à determinada situação. Os judeus tinham por costume rasgar o manto para demonstrar que estavam inconformados. Jó também rapou a cabeça em gesto de humilhação, e depois, expressou total intimidade com Deus ao inclinar-se com o seu rosto em terra e submeter-se como um servo diante do seu Senhor. No entanto, era de se esperar, no mínimo, uma reação de desespero por parte do patriarca, mas em vez disso, o que percebemos é um homem confiante em suas convicções, abalizado na confiança em Deus e tributando a Ele uma verdadeira adoração.

A lição extraída neste dia para a nossa vida cristã é que jamais devemos estar prostrados diante das instabilidades da vida, mas devemos levantar-nos e prosseguir pelo caminho olhando para o Autor de nossa fé e Provedor de todas as coisas que tem a dar-nos.