Como uma folha

Como uma folha

COMO UMA FOLHA

É muito difícil lidar com as diferenças de personalidade, com as particularidades de cada um. Mas nem por isso devemos sair por aí achando que somos os melhores e brigar com todos ao menor sinal de resistência ao nosso gênio. Agora imagine como é para um professor lidar com tais diferenças. Porém, com o tempo ele aprende técnicas para ajudar as crianças a crescer.

Para educar um menino de caráter impulsivo, que vivia com raiva, agredindo seus colegas, o professor Anibal chamou-a à sua sala. Primeiro ouviu suas explicações. Sentiu que Juninho ficava envergonhada com sua atitude, mas só depois de já ter feito o estrago de magoar seus colegas.

Sabia que a declaração do menino era sincera porque ele próprio já havia presenciado algumas cenas nas quais Juninho pedira desculpas após brigar com algum amigo.

Após ouvir o garoto, o professor pegou uma folha de papel. Deu-a a Juninho e pediu que a amasse. Com medo e espanto, Juninho obedeceu. Pegou a folha, apertou bem, formando uma bola com o papel.

Disse o professor:

- Agora deixe-a como estava antes!

O garoto olhou com mais espanto ainda. Sabia que seria impossível deixar a folha como antes. Poderia desamassá-la, deixá-la reta, mas as marcas não se apagariam mais.

Então o professor Anibal continuou:

- O coração das pessoas é como este papel. A marca que deixamos quando o magoamos é como a marca deste papel, não se apagará, por mais que se tente. A impressão que deixamos nas pessoas dificilmente é apagada. Quando magoamos alguém, mesmo que peçamos desculpas depois e tentemos reverter a situação, as cicatrizes continuam lá.

Para nossa reflexão...

Para aprender o valor das coisas, normalmente precisamos sofrer. Para aprender o sentido do perdão, precisamos perdoar. Para sentir a dor que uma palavra dura, que uma grande grosseria causa, precisamos ser agredidos. Tudo o que fizermos deixará marca na vida das outras pessoas. Procuremos, então, deixar sinais de vida, de alegria, de paz... O autocontrole é uma grande virtude. Diante de uma situação que provoque raiva, pense duas vezes antes de agir. Sua atitude pode deixar cicatrizes profundas na outra pessoa, cicatrizes que desculpa nenhuma apagará. Amasse uma folha e tente fazê-la voltar ao normal.

Pense no silêncio de teu coração...

Que atitude pode ajudar a controlar meus instintos?
Como agir diante de uma situação de raiva?
Tomo cuidado para não ferir as pessoas, para não magoá-las e nem deixar marcas em seus corações?
Qual o valor do perdão?
Quais as marcas que não consigo apagar de minha vida?