Vivendo plenamente

Vivendo plenamente

Leia: 2 Coríntios 6:1-13 ; Jeremias 43-45; Hebreus 5

Para vós outros, ó coríntios, abrem-se os nossos lábios, e alarga-se o nosso coração. v.11

Uma revista de barcos mostra que alguns dos nomes mais populares para eles são: Serenidade, Enrolando o Tempo, Intervalo e Descobertas Casuais. Há pouco tempo, vi o nome Vivendo Plenamente num barco. Não estou segura do que isso significava para o proprietário do barco, mas para muitas pessoas “vivendo plenamente” significa ter as melhores propriedades, férias em lugares exóticos, comprar o que quiser, viver de forma extravagante.

Entretanto, esse tipo de vida não traz em si um propósito ou satisfação verdadeira. Os cristãos devem viver de forma plena, mas de modo diferente daquele, como vemos no exemplo do apóstolo Paulo e de seu colaborador, Timóteo. Paulo disse aos coríntios: “…abrimos-lhes todo o nosso coração” (2 Coríntios 6:11 NVI). Outra tradução nos diz o seguinte: “aberto completamente” (NTLH). Eles haviam dedicado toda a sua afeição para as pessoas, assim como um pai faz com seus filhos, quando os abraça. Naquele momento eles queriam a mesma resposta. Por isso Paulo pediu: “Ora, como justa retribuição […] dilatai-vos também vós” (v.13).

Uma pessoa com um coração aberto mostra sua afeição de forma livre e generosa por meio de palavras, atitudes e atos. Como cristãos, vivamos plenamente hoje e aproveitemos para ser cordiais e demonstrar amor uns aos outros.

 

Os que não demonstram seu amor na verdade não amam. —Shakespeare