Por que temos valor?

Por que temos valor?

Leia: Salmo 8

Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus… João 1:12

Num discurso de formatura dirigido a uma classe de formandos universitários, um colunista apresentou estatísticas que ajudam a diminuir o nosso orgulho. Ele destacou que “o sol, ao redor do qual a Terra orbita, é uma de talvez 400 bilhões de estrelas da Via Láctea, que é uma galáxia ínfima”. E acrescentou: “Talvez haja 40 bilhões de galáxias no universo […]. Se todas as estrelas do universo fossem do tamanho da cabeça de um alfinete, elas encheriam um estádio de futebol e ainda transbordariam mais de três bilhões de vezes.”

Há um lado positivo em todos esses dados surpreendentes. O Deus que criou e sustenta o nosso cosmos, salpicado de estrelas em sua incompreensível imensidão, nos ama. E Ele não ama a raça humana apenas como uma identidade de bilhões de pessoas que se multiplicaram. Ele nos ama individualmente. O que Paulo proclama ser verdade em relação a si mesmo é verdade em relação a cada um de nós, em toda a nossa insignificância. Como está escrito: Cristo “…que me amou e a si mesmo se entregou por mim” (Gálatas 2:20).

Do ponto de vista astronômico, somos insignificantes. Mas somos os objetos amados do cuidado de Deus. Apesar de não termos razão para o orgulho, somos indescritivelmente gratos ao Senhor, cujo amor por nós está revelado na cruz do Calvário.

 

Não temos nada de que nos vangloriar, somente de que somos amados por Deus.

por Vernon C. Grounds