Diga “não” à autoajuda

Diga “não” à autoajuda

Leia: Jeremias 17:1-8

O Senhor é a minha força e o meu escudo; nele o meu coração confia, nele fui socorrido. Salmo 28:7

No início da minha carreira editorial, em publicações religiosas, fui responsável por uma linha de livros denominada de “autoajuda”. Este rótulo me incomodou porque parecia contrário a tudo o que é cristão.

O termo autoajuda é popular porque se embasa na ideia de que temos o controle. Conforme as palavras do poema Invictus: “Sou o mestre do meu destino; sou o capitão de minha alma.”

Mas não o somos! Ocasionalmente, algo nos acontece e nos lembra como a vida está fora do controle, e nenhum livro de autoajuda pode nos auxiliar.

Felizmente, os cristãos não estão envolvidos com os negócios da autoajuda. É justamente o contrário! Para tornar-se um cristão é necessário admitir que somos indefesos e reconhecer nossa total dependência de Deus. Jesus disse: “…porque sem mim nada podeis fazer” (João 15:5).

Os israelitas sempre arrumavam problemas para si mesmos porque confiavam na força humana em vez de confiar na força de Deus (Jeremias 17:5). Todavia, mesmo após suas falhas, o Senhor lhes disse: “Bendito o homem que confia no Senhor…” (v.7).

 

Quando as circunstâncias especialmente difíceis ou fortes tentações invadem a nossa vida e nos lembram de nossa fraqueza, temos um Deus todo-poderoso que age em favor daqueles que confiam nele.

Tudo o que não começa com Deus acabará em fracasso.

por Julie Ackerman Link