Riqueza

Riqueza

O conceito de riqueza e pobreza é muito relativo. Quer ver?
Um dia, um homem muito rico, morador  da capital, resolveu que seu filho deveria conhecer o interior. Saber de onde vem os alimentos, como vivem as pessoas pobres etc., ajudaria na sua formação.
Viajaram algumas horas e decidiram parar em um sítio à beira da estrada. Não conhecia os donos, mas achou que aquele local, muito humilde, seria perfeito para mostrar ao filho as diferenças de sua vida e a de uma família pobre. Passaram um dia e uma noite com a família. O filho logo fez amizade com as crianças e saiu para desbravar um ambiente que jamais havia visto: plantações, mato, bichos...
Quando retornaram da viagem, o pai perguntou o que o filho havia aprendido da experiência.
- Como foi a viagem? – perguntou.
- Muito boa, pai – respondeu o filho.
- Você viu como as pessoas pobres vivem?
- Eu vi, pai – respondeu. Eu vi que nós temos um cachorro e eles têm quatro. Nós temos uma piscina que alcança o meio do jardim, eles têm um riacho que não tem fim. Nós temos uma varanda coberta e  iluminada com luz, eles têm as estrelas e a lua. Nosso quintal vai até o portão da entrada, eles têm uma floresta inteira. Eu tenho a sua companhia poucas horas por dia, eles passam todo o dia juntos, partilhando a vida. Eu passo o dia trancado na escola ou em casa, eles vivem correndo pelo campo, subindo em árvores, brincando no jardim...
O pai já estava estupefato, muito pensativo, quando o garoto ainda acrescentou:
- Obrigado, pai, por me mostrar o quão pobres nós somos.

A riqueza e a pobreza não são medidas por posses, dinheiro, bens. Elas são muito mais amplas. Nada compra o sentimento de liberdade, nada compra a alegria, a realização. Algumas coisas que não custam nada têm um valor enorme, como a convivência, as amizades, a partilha, a companhia da família etc. Se  temos amor, amigos, saúde, bom humor e atitudes positivas, somos muito ricos. Se vivemos presos a bens materiais, somos muito pobres.

Para refletir

Somos ricos ou pobres? Qual a maior riqueza de nossa vida? O que nos impede de sermos ainda mais ricos? Qual a importância que damos ao dinheiro, aos bens? Que atitudes ajudam-nos a valorizar realmente o que nos enriquece interiormente? O que significa a bem-aventurança que diz: “felizes os pobres em espírito”? Qual é o nosso conceito de riqueza diante da sociedade e a proposta de Cristo?