Parábolas

Parábolas

3. Adversidade

Empolgado com o resultado da aula sobre o vaso e as pedras, professor Gilberto resolveu repetir a experiência. Ensinaria outra lição aos seus jovens alunos. Levou todos para o laboratório, encheu três panelas com água e colocou cada uma delas em fogo alto. Em poucos minutos a água começou a ferver. Pegou então algumas cenouras, ovos e um pouco de café. Em uma delas ele colocou cenouras, em outra, colocou ovos e, na última, pó de café. Deixou que tudo fervesse, sem dizer uma palavra.
A ansiedade se misturava à impaciência e curiosidade entre os jovens alunos. Todos de olhos fixos nas panelas, pois sabiam que alguma coisa surgiria dali. Ainda lembravam da lição que aprenderam na aula anterior. Cerca de vinte minutos depois, seu Gilberto apagou as bocas de gás. Pegou as cenouras e as colocou numa tiglea. Retirou os ovos e os colocou em outra tigela. Então, pegou o café com uma concha e o colocou também em uma tiglea mais funda.
Percebendo os olhos atentos, virou para os alunos e perguntou o que eles estavam vendo. Eles se entreolharam e responderam receosos: cenouras, ovos e café.
O professor chamou então Aninha, uma das alunas mais atentas, e pediu que experimentasse a cenoura. Ela obedeceu. Deu uma mordida e percebeu que ela estava macia.
Chamou Maurício, um dos mais rebeldes, e pediu que pegasse um ovo. Ele tirou a casca, comeu e constatou que o ovo estava duro.
Por fim, chamou Juli, uma das mais tímidas da turma, mas muito inteligente, e ofereceu o café. Ela sorriu ao sentir o aroma gostoso, e voltou a sorrir ao bebê-lo.
Dirigindo-se a todos os alunos, disse:
- Cada um destes alimentos enfrentou a mesma adversidade, a água fervendo, mas cada um reagiu de maneira diferente. A cenoura é forte, firme e inflexível, mas, depois de ser submetida à água fervendo, amolece e se torna frágil. Os ovos são frágeis, mas depois de serem colocados na água fervendo, seu interior se torna mais duro. O pós de café é ainda mais interessante. Depois de ser colocado na água fervente, ele muda toda a água. Qual deles somos?

Para meditar,

Cada um de nós reage de forma diferente às dificuldades da vida, aos obstáculos que encontramos no dia a dia. Uns são como a cenoura, que parece forte, mas com a dor e a adversidade murcha, torna-se frágil e perde sua força. Outros são como o ovo, que começa com um coração maleável, um espírito maleável, mas depois de uma dor se torna mais duro. Sua casca pode parecer a mesma, mas você está mais amargo e obstinado, com o coração e o espírito infelxíveis. Outros, ainda, são como o pó de café, capaz de mudar a água fervente para conseguir o máximo de seu sabor. Quando as coisas se tornam piores, sabem se tornar melhores e fazer com que as coisas ao redor também se tornem melhores. Nenhuma maneira é certa ou errada, são apenas diferentes. Em cada uma delas podemos trabalhar para obtermos melhores resultados, aprendendo sempre mais com cada experiência.


Algumas perguntas para pensarmos...

Quais são as "águas fervendi" da minha vida?
Como reajo diante das adversidades? Sou cenouras, ovos ou café?
O que aprendi com estas experiências?
Sou capaz de controlar minhas reações? Como me trabalhar para isso?
O que penso sobre as pessoas que reagem diferentemente de mim? Sou tentado a questioná-las?

Dicas para trabalhar em nós...

Superação de problemas, equilíbrio, autocontrole, diferenças, preconceitos, paciência, atitudes saudáveis, crescimento humano, aprendizagem com os erros e dificuldades, atitude, autoconhecimento.