O carnaval na visão daqueles que seguem Jesus Cristo

O carnaval na visão daqueles que seguem Jesus Cristo

-  A conduta do cristão diante das festas carnavalescas -

Então, carne nada vale, sim; mas o Espírito é o comandante!

 

As festas descritas na Bíblia tinham propósitos. Eram feitas para honrar e louvar a Deus. O que se faziam nelas? Quem participava? Elas eram resultado de algo que Deus fez ou fazia pelo povo. E eram comemoradas pelo próprio povo de Deus, com muita alegria, instrumentos e danças, mas com um espírito de reverência e santidade.

 

O povo de Deus era muito conhecido pelos povos vizinhos, que também faziam suas festas em homenagem aos seus deuses, mas sem temor e com muitas orgias.

“Acaso não sabem que o corpo de vocês é santuário do Espírito Santo que habita em vocês, que lhes foi dado por Deus, e que vocês não são de vocês mesmos? Vocês foram comprados por alto preço. Portanto, glorifiquem a Deus com o seu próprio corpo.”

1 Coríntios 6:19-20

É necessário que valorizemos a carne, nosso corpo é o vaso que recebe a eucaristia. Foi Deus que criou nossos corpos, de forma muito especial. Por isso, cada um de nós deve cuidar do corpo e tratá-lo com respeito. O corpo do cristão é o templo de Deus, porque o Espírito Santo mora dentro dele. Então, nos próximos dias do carnaval, que fazer? Para os nós católicos temos algumas soluções que podemos oferecer: utilize-se dos dias do Carnaval para uma boa leitura, para visitas aos doentes, para a convivência com a família, para a reestruturação de planos e projetos, para estudos, para a paz, para a meditação.

 

Se tiver uma convicção religiosa, siga! Vá fazer o seu retiro católico; vá fazer o seu estudo bíblico; vá fazer o seu encontro com Deus visitando um santuário.

 

Naturalmente que nós poderíamos utilizar-nos do carnaval para festas; podemos ir a bailes. É lógico! Não é o carnaval em si; (o problema) é o comportamento do indivíduo no carnaval… porque muitas vezes o indivíduo pode estar atormentado pelos conflitos do sexo, pelos tormentos do seu próprio comportamento.

 

Podemos ir para as galerias para ver as escolas de samba desfilar; temos nós aquele que nos agrada, a escola que nos toca, (…) isso faz parte da vida, isso nos ajuda a vibrar. É a nossa conduta mental e moral, a maneira como nos utilizamos os dias de prazer e licenças para nos entregarmos à hediondez e depois recuperarmos a máscara da hipocrisia puritana. Isso sim, que é condenável.

“Cada um saiba controlar o seu próprio corpo de maneira santa e honrosa, não dominado pela paixão de desejos desenfreados, como os pagãos que desconhecem a Deus.”

 

1 Tessalonicenses 4:4-5

 

Texto adaptado : https://www.franciscocatolico.com.br