Parábolas

Parábolas

4. Mantenha-se calmo

Lucas era um agaroto muito agitado, de temperamento explosivo. Vivia brigando e discutindo com os colegas, na escola, na rua, em todo lugar por onde andava.
Um certo dia, o pai de Lucas resolveu ensinar-lhe uma lição. Pegou um saco de pregos e uma tábua não muito grande. Mandou o garoto martelar um prego na madeira cada vez que sentisse raiva, caa vez que ficasse nervoso, que perdesse a calma.
No dia seguinte, já tinha quinze pregos na tábua. Uma semana depois, a tábua já não tinha mais espaço de tantos pregos, mas Lucas sentiu que melhorou, pois a cada dia ia diminuindo o número de pregos martelados.
Estava aprendendo a controlar sua raiva. Até porque seria menos trabalhoso controlar a raiva e manter-se calmo do que ter que ir toda vez até a garagem para pregar um prego na tábua.
Um mês depois, Lucas se surpreendeu, pois passou um dia inteiro sem martelar um prego sequer. Procurou o pai e contou o grande feito. Disse também que estava se sentindo bem melhor agora, sendo mais paciente. Os amigos já não o evitavam, podia brincar por mais tempo... tudo tinha melhorado.
Para completar o ensinamento que o pai queria dar ao filho, mandou Lucas arrancar todos os pregos da madeira e trazer para ele ver. Lucas demorou um pouco, pois eram muitos pregos, mas voltou orgulhoso trazendo os pregos em uma mão e a tábua em outra.
O pai pegou os pregos, depois a madeira, e disse:
- Parabéns filho, você conseguiu controlar sua raiva, conseguiu ser paciente, mas olhe como esta tábua ficou. Viu quantos buracos? Este pedaço de madeira nunca mais será o mesmo. As pessoas são como esta tábua. As palavras que você diz quando está com raiva, as agressões que elas sofrem deixam buracos, cicatrizes que não voltam mais ao normal. Não importa se você retirar o prego, a marca vai ficar.

Para refletir

A família e os amigos são a principal riqueza que qualquer pessoa pode ter na vida. Se não sabemos respeitar as pessoas que nos amam, não somos dígnos do seu amor. Cada vez que as agredimos, seja com palavras ou atitudes, deixamos marcas profundas que nem o tempo consegue apagar. Às vezes estas marcas são tão fortes que determinam o fim do relacionamento. Não importa quantas vezes pedimos desculpas depois, nossas ações negativas sempre machucam. Saber se controlar, controlar a própria raiva, conseguir manter a calma... é essencial para um futuro feliz e realizado.

Pense profundamente em trabalhar isto...

Como trato as pessoas que amo? Sou gentil ou ajo por impulso, sendo muitas vezes indelicado?
Tenho controle sobre mim mesmo? Como controlo meus momentos de raica, de ódio?
Como proocuro reverter as agressões que cometo?
Qual a importância de pedir desculpas, já que elas não apagam as marcas que minhas agressões deixam?

Algumas dicas para melhorarmos...

Paciência, calma, autocontrole, equilíbrio, maturidade, crescimento humano, superação de problemas, atitudes saudáveis, aprendizagem com os erros e dificuldades, autoconhecimento.