O chamado de Deus

O chamado de Deus

Porque não me enviou Cristo para batizar, mas para pregar o evangelho…

(1 Coríntios 1:17)

 

Paulo declara aqui que o chamado de Deus é para pregar o evangelho. Porém, lembre-se do que Paulo quer dizer mediante a expressão “o evangelho”: a redenção que recebemos no Senhor Jesus Cristo. Tendemos a fazer da “santificação” o tema central da nossa pregação. Paulo se refere às nossas experiências pessoais somente como uma maneira de ilustrar esse aspecto, nunca como o fim da questão. Não somos comissionados apenas a pregar a salvação ou santificação — somos chamados para enaltecer Jesus Cristo (João 12:32). É uma injustiça dizer que Jesus efetuou a redenção para tornar-me um santo. Jesus Cristo agiu na redenção para redimir o mundo inteiro e estabelecê-lo integralmente perfeito e restaurado diante do trono de Deus. O fato de podermos vivenciar a redenção ilustra o poder de sua realidade, mas essa experiência é um subproduto e não o alvo da redenção.

 

Se Deus fosse humano, Ele estaria desgastado e cansado diante dos constantes pedidos que lhe fazemos por nossa salvação e santificação. Consumiríamos Suas energias desde as primeiras horas da manhã até à noite clamando por coisas que desejamos ou por algo que queremos nos ver livres! Contudo, quando, finalmente, tocarmos os princípios fundamentais da veracidade do evangelho de Deus, nunca mais o incomodaremos com pequenas queixas pessoais.

 

A única paixão da vida de Paulo era proclamar o evangelho de Deus. Ele aceitou de boa vontade as amarguras, desilusões e tribulações por uma só razão: essas provações mantinham no firme em sua devoção ao evangelho de Cristo.

 

– Oswald Chambers