Amarás o teu próximo como a ti mesmo

Amarás o teu próximo como a ti mesmo

 

Para o doutor em psicologia, Nathaniel Branden, “autoestima, seja qual for o nível, é uma experiência íntima, que reside no cerne do nosso ser. É o que eu penso e sinto sobre mim mesmo, não o que o outro pensa e sente sobre mim. Ter baixa autoestima é sentir-se inadequado à vida, errado, não sobre algo específico, mas errado como indivíduo”.

Muitas vezes valorizamos mais os outros do que a nós mesmos e sofremos enquanto esperamos a aprovação e o reconhecimento alheio.

A forma como somos tratados reflete o que pensamos e sentimos a respeito de nós mesmos. Se nos sentimos inferiores e incapazes, é assim que seremos vistos, influenciando negativamente nossa vida.

A base da falta de autoestima é o medo do julgamento dos outros. Por isso é importante valorizar-se como pessoa e sentir-se merecedor do respeito e do amor de pais, familiares, amigos, cônjuge, filhos.

Quando temos respeito e amor-próprio, fazemos valer nossas ideias, lutamos por nossas metas profissionais e pessoais, buscamos a felicidade. Sentimo-nos capazes de enfrentar as dificuldades da vida de uma forma tranquila e confiante.

Palavra que orienta

Jesus foi questionado por um doutor da lei, que queria pô-lo à prova: “Mestre, qual é o maior mandamento?”. Ele respondeu: “Amarás o Senhor, teu Deus, com todo o teu coração, com toda a tua alma e com todo o teu entendimento!”. Esse é o maior e o primeiro mandamento. O segundo lhe é semelhante: “Amarás teu próximo como a ti mesmo. Toda a Lei e os Profetas dependem desses dois mandamentos” (Mt 22,36-40).

Jesus nos dá o critério para a construção de relacionamentos humanos. Somente é capaz de amar o outro quem ama a si mesmo, o que não significa ser egocêntrico, orgulhoso ou achar-se melhor que os outros. A autoestima deve ser baseada na humildade, no respeito por si mesmo e pelos outros.

Na busca frenética por satisfação, muitas pessoas concentram-se no dinheiro, na beleza, ou seja, em padrões humanos, que são superficiais e passageiros. Mas o Evangelho ensina: “Amemo-nos uns aos outros, porque o amor vem de Deus e todo aquele que ama nasceu de Deus e conhece a Deus (1Jo 4,7)