Parábolas

Parábolas

5. O sábio e a borboleta

Muitas são as dificuldades encontradas pelos moradores do interior para conseguir frequentar a escola. No passado, eram ainda piores. É deste tempo a história das duas irmãs, garotas bonitas e inteligentes, cujo maior desejo era aprender a ler e escrever.
Elas moravam com o pai e não tinham condições para se educar, pois passavam muito tempo trabalhando e a escola era muito longe.
Sabendo do desejo das filhas, o pai aproveitou o intervalo entre uma colheita e outra e enviou as filhas para passar uma temporada com um velho sábio, amigo da família.
Tinha certeza de que, passando um tempo com o sábio, as meninas aprenderiam muito, pois são muito inteligentes.
Elas adoraram a idéia. Empolgadas, começaram a arrumar as malas e logo tudo estava pronto para partir. Dois dias de caminhada e lá estavam elas. A todas as perguntas das garotas, o sábio tinha uma ótima resposta.
Já impacientes com o fato de o sábio responder corretamente a todas as suas perguntas, as duas irmãs resolveram armar uma pegadinha. Esta o sábio não acertaria nunca.
Passaram-se alguns dias e uma das meninas apareceu com uma linda borboleta azul. Chamou a irmã e disse:
- Achei um modo de pegarmos o sábio. Dessa vez ele não vai saber a resposta!
- O que você vai fazer? - perguntou a outra menina.
- Tenho uma borboleta azul em minhas mãos. Vou perguntar para o sábio se a borboleta está viva ou morta. Se ele disse que ela está morta, vou abrir minhas mãos e deixá-la voar para o céu. Se ele disser que ela está viva, vou apertá-la rapidamente, esmagá-la e assim matá-la. Qualquer resposta que o velho nos der vai estar errada.
As duas irmãs foram, então, ao encontro do sábio, que encontrava-se no alto de uma colina.
A menina com a borboleta aproximou-se e perguntou:
- Tenho aqui uma borboleta azul. Diga-me sábio, ela está viva ou morta?
Calmamente o sábio sorriu e respondeu:
- Depende de você... ela está em suas mãos.

Para refletir

A borboleta é símbolo de muitas coisas, basta cada um identificar. Ela é nosso futuro, nossos relacionamentos, nosso emprego, nossa vida... Tudo está nas nossas mãos. Temos o controle, apesar de pensarmos o contrário. Podemos afogar nossa vida em tristezas e problemas ou podemos dar liberdade para ela alçar voos. Somos nós os responsáveis por aquilo que conquistamos ou não. Não devemos culpar ninguém pelo que dá errado na nossa vida. Pelo contrário, devemos analisar onde falhamos e recomeçar.

Algumas perguntas para pensarmos...


O que significa para mim a borboleta?
Qual o tratamento que normalmente dou à minha vida, ao meu futuro? Aperto-o ou deixo-o voar?
O que devo fazer para que minha vida voe livremente? O que me impede?
 

Alguns pontos a serem trabalhados...

Crescimento pessoal, maturidade, sabedoria de vida, calma, autocontrole, equilíbrio, superação de problemas, desinstalar-se, mudança de vida, desafios, atitudes saudáveis, aprendizagem com os erros e dificuldades, autoconhecimento.