O cristão anda na contramão

O cristão anda na contramão

O que as pessoas vão pensar quando ouvirem que eu sou um maluco por Jesus?

O que as pessoas vão fazer quando virem que isso é verdade?

Eu não me importo se eles me rotulam de Maluco por Jesus

Pois não há como esconder a verdade

As pessoas dizerem que sou estranho faz de mim um estranho?

 

Meu melhor amigo nasceu em uma manjedoura

Ser um seguidor de Jesus é ser um “maluco”, alguém que é diferente do padrão do mundo. Se dizemos que somos cristãos, mas ninguém que convive ao nosso redor percebe que somos cristãos, então há algum problema. O cristão é alguém que vive de maneira diferente, que anda na contramão, e as pessoas percebem.

 

Pensando nisso, eu gostaria de trabalhar três perguntas.

 

1. Por que o cristão anda na contramão?

 

2. Será que as pessoas sabem que você é um cristão? Será que as nossas atitudes são típicas de alguém que se diz cristão?

 

3. Será que você tem medo do que as pessoas vão pensar a seu respeito por ser um seguidor de Jesus?

 

 

POR QUE O CRISTÃO ANDA NA CONTRAMÃO, É ALGUÉM DIFERENTE?

Dizemos que somos seguidores de Jesus, mas Jesus é invisível e impopular. Jesus não é um tipo de celebridade que podemos seguir no Twitter e, além disso, ele ensinou coisas bastante difíceis de serem cumpridas. Por exemplo:

 

“Mas eu lhes digo: Qualquer que olhar para uma mulher para desejá-la, já cometeu adultério com ela no seu coração” (Mateus 5:28).

 

“Mas eu lhes digo: Amem os seus inimigos e orem por aqueles que os perseguem, para que vocês venham a ser filhos de seu Pai que está nos céus” (Mateus 5:44,45).

 

Muita gente acha os ensinamentos de Jesus e os demais ensinamentos da Bíblia bonitos, até terem que colocá-los em prática. A verdade, porém, é que os ensinamentos da Bíblia contrariam a nossa natureza pecaminosa, desagradam a nossa carne. Então, muita gente prefere continuar vivendo sem a interferência de Jesus em suas vidas. Se somos seguidores de Jesus, a Bíblia é o nosso manual de vida e, quando vivemos o que esse manual de vida nos ensina, nosso estilo de vida nos faz diferentes do mundo. A Bíblia nos ensina que a nossa identidade não pode ser confundida com a do ímpio.

 

Romanos 12.2: “E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus”.

 

Existe uma filosofia de vida no mundo que é destruidora e não podemos nos submeter a ela (o mundo jaz no maligno). Nosso estilo de vida não pode ser confundido com as práticas do mundo. Existe um contraste muito grande entre o filho de Deus e o ímpio. No próprio texto de Romanos, Paulo nos mostra isto. Há um contraste entre as palavras “conformar” e “renovar”. A mente conformada é uma mente obscurecida pela filosofia do mundo. O conformismo nos faz aprovar e praticar as ações do mundo. Começamos a pensar que nosso estilo de vida é aceitável, normal. Isso nos impede de vivermos a boa vontade de Deus. Uma mente mundana, conformada, é como um espelho empoeirado: enquanto ele não for limpo de toda a sujeira, não poderá refletir a luz do sol.

 

Então, um cristão não se adequa aos padrões deste mundo. Este mundo, na verdade, é apenas um lugar de passagem. Somos forasteiros.

 

SERÁ QUE AS PESSOAS SABEM QUE VOCÊ É UM CRISTÃO? SERÁ QUE AS NOSSAS ATITUDES SÃO TÍPICAS DE ALGUÉM QUE SE DIZ CRISTÃO?

Um exemplo de homem temente a Deus e que não se conformou com este mundo é Daniel. No capítulo 1 de Daniel, vemos que o rei Nabucodonosor estava à procura dos melhores homens para servirem na Corte. Daniel, Hananias, Misael e Mesaque foram escolhidos.

 

Daniel 1.8: “Resolveu Daniel, firmemente, não contaminar-se com as finas iguarias do rei, nem com o vinho que ele bebia; então, pediu ao chefe dos eunucos que lhe permitisse não contaminar-se”.

 

A comida e a bebida que Daniel recusou não eram preparadas de acordo com a lei e, provavelmente, eram consagradas a ídolos. Daniel decidiu não se envolver com o mundo. Daniel foi ousado e andou na contramão. Ele foi fiel a Deus.

 

Será que faríamos a mesma coisa no lugar de Daniel? Honraríamos a Deus? Ficaria claro para o rei que somos tementes a Deus? Imagine se seu patrão pedisse para você fraudar alguém, um cliente. Ou então se o professor substituto deixasse você colar na prova do professor que precisou se ausentar. Qual seria a sua reação?

 

1João 2.15 diz: “Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele; porque tudo que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não procede do Pai, mas procede do mundo”.

 

Deus quer que sejamos santos, que sejamos separados do mundo. As pessoas saberão que somos cristãos com a nossa santidade e piedade.

 

Por Jonathan Silveira