Maria, o lindo sonho de Deus

Maria, o lindo sonho de Deus

 Parte 1

O grande serviço de Nossa Senhora era amar. Nossa Senhora expressa o fogo de amor que queima dentro dela através do serviço, através da acolhida.

 

O fogo do amor de Deus pode ser vivido dentro de nós, na nossa humanidade, na nossa vida, como homens e mulheres inteiros, na nossa história, no nosso espírito, no nosso amar, no nosso agir, no nosso ser. Esse fogo para se espalhar sobre a terra, precisa primeiro se espalhar em mim. Para que esse fogo possa queimar a Terra, precisa primeiro queimar em mim, purificar aquilo que sou.

 

Falaremos disso através da mediação da pessoa que mais inteiramente correspondeu ao desejo de Deus de trazer o fogo sobre a Terra. Na verdade, ninguém trouxe o fogo sobre a Terra como Nossa Senhora.

 

O livro do Gênesis fala que a Terra era sem forma e vazia. E a primeira coisa que Deus criou foi à luz. Fogo e luz, na Bíblia, estão muito relacionados. E a cada nova criação, completava-se um dia, e a cada nova aurora, Ele recomeçava a criação nesse hino litúrgico que é o capítulo 1 do Gênesis.

 

A última criação de Deus foi o homem e a mulher. Ele entregou o homem à mulher e a mulher ao homem para que vivessem um relacionamento de reciprocidade, para que se amassem e se doassem um ao outro como um auxílio de felicidade. O homem ama a mulher, entrega-se por ela, dá-se para que ela seja feliz e a mulher ama o homem, entrega-se a ele e se doa para o homem ser feliz. Dessa forma, eles estariam reproduzindo na Terra a mesma doação que a Trindade tem em si. O homem e a mulher foram criados à imagem e semelhança de Deus para esse tipo de amor, que tem o seu parâmetro na Trindade. É assim que a Trindade ama, é assim que devemos nos amar.

 

Quantos tipos de amor existem no mundo? Só um. Só existe o amor de Deus. Só o amor de Deus é amor! E esse amor de Deus se expressa de formas diferentes: no casamento, no celibato, entre irmãos espirituais de sangue, no sacerdócio, entre amigos. É o amor de Deus que se expressa de modos diferentes, mas é sempre o mesmo amor.

 

E o homem era muito feliz! Tudo era dia, no sentido de que no coração humano brilhava o fogo do amor. Quanto mais o homem amava a mulher, mais este fogo brilhava nele. Quanto mais a mulher amava o homem, mais este fogo brilhava nela, e mais os dois viviam em intimidade com Deus. A intimidade com Deus reside no amar, no orar para amar, no orar para ser amor, no orar para amar o irmão.