A lição da flor

A lição da flor

A primavera continua nos favorecendo e nos ensinando. As flores que espoucam em sangue, em ouro, em saudades, nos dão lições maravilhosas.
Quão belas são!
Delicadeza, harmonia, nuances, perfume, vida, reunidos, presos, retidos no verde macio de um cálice protetor.
Flor embelezando a vida, significando carinho, traduzindo saudade, unindo corações, cobrindo campos em reverência e dor.
Flor encantando poetas e prosadores. Flor alegrando os corações enamorados.
Sublime é a mensagem que a flor encerra. Mensagem de trabalho, de utilidade e progresso, pois, a flor alé de bela é útil.
Sabemos que, beleza que é só beleza, é futilidade, é desperdício de talento, é fracasso.
Lei da vida! Lei do amor! E a flor se transforma em fruto, faz-se semente, volta a ser planta, e torna a planta a abrir-se em flor.
Eis aí a lição da flor. Se a flor é útil, e produtiva, o que não nos cabe de responsabilidade? de produção? de trabalho?
Temos o dever, a abrigação de sermos úteis também.
Úteis a nós mesmos, à Igreja, à Pátria, à Sociedade. Totalmente. Integralmente. Trabalhando. Cooperando. Estudando. Produzindo.
Aprendamos a lição da flor. Beleza que é só beleza é futilidade. Sejamos úteis também.