E você?

E você?

Leia: Efésios 4:25-32 , Ezequiel 16–17; Tiago 3

A morte e a vida estão no poder da língua… Provérbios 18:21

Emily escutava as tradições familiares de Ação de Graças de seus amigos. “Ao redor da sala, cada um de nós diz pelo que é grato a Deus”, disse Geraldo.

 

Outro amigo mencionou a refeição e o momento da oração. Ele se lembrou de um momento com seu pai antes da morte deste: “Embora papai tivesse demência, sua oração de agradecimento ao Senhor era clara.” Ronaldo disse: “Minha família tem um momento especial em que cantamos juntos. Minha avó não para de cantar!”. A tristeza e o ciúme de Emily aumentaram ao pensar em sua própria família, e ela reclamou: “Nossas tradições são comer peru, assistir TV e nunca mencionar algo sobre Deus ou dar graças.”

 

Imediatamente, ela sentiu-se mal por sua atitude. Você é parte dessa família. O que você pode fazer para mudar isto?, perguntou a si mesma. Ela decidiu que diria a cada um que ela era grata ao Senhor por aquela pessoa ser sua irmã, sobrinha, irmão ou sobrinha-neta. Ao chegar o dia, ela expressou sua gratidão por eles um a um, e todos se sentiram amados. Não foi fácil — aquela não era uma conversa usual em sua família —, mas ela se alegrou ao compartilhar sobre o seu amor por cada um deles.

 

“Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, e sim unicamente a que for boa para edificação…”, escreveu o apóstolo Paulo (Efésios 4:29). Nossas palavras de gratidão podem relembrar os outros de seu valor para nós e para Deus.

 

O espírito humano se enche de esperança ao som de uma palavra encorajadora.

por Anne Cetas