Rezar é perder tempo?

Rezar é perder tempo?

REZAR É PERDER TEMPO?

A gente encontra de tudo, neste mundo.
No museu antirreligioso de Bucara, na Ásia russa muçulmana, há uma série de fotografias de crentes prostrados em oração em oração, no ritual do Islã.
Sob as fotografias do museu, está a inscrição garrafal:

"Todas estas horas passadas em orações inúteis, são horas perdidas para o trabalho produtivo. Lembre-se de que a oração é a pior das drogas!"

Os defensores do pragmatismo endossam a inscrição.
Os entusiastas do mundo pagão batem palmas à legendda do museu antirreligioso.
Os ativistas, que não entendem de fé e desconhecem a dimensão espiritual do ser humano, da vida, subscrevem pacificamente a inscrição. Como também os partidários de Marx. De Engels ou Lenine, para os quais a religião é o ópio do povo...

E eu...

Como encaro e situo a oração em minha vida?

Lucro ou perda, pobreza ou enriquecimento?

Tempo perdido ou tempo valorizado?