10 de janeiro de 2019

10 de janeiro de 2019

10 de janeiro de 2019

Certo jovem queixou-se a Daniel Webster:
- Os jovens não têm mais oportunidade; todos os postos bons estão ocupados.

- Existe ainda lugar nos cumes das montanhas – respondeu ele.
Se você quer se deter no rés-do-chão, certamente continuará sendo um homem vulgar, da massa, anônimo, sem projeção; mas, se você se lança para as alturas, se fita seu olhar no alto das montanhas, se não se contenta com a rotina de sempre, com o comum, com ser como são os outros, mas aspira a ser como foram os que constituem o menor número, então chegará à perfeição.
Mas para isso você tem que subir, subir sempre, esforçar-se por ser melhor, cada dia com um novo esforço, com redobrado ânimo, com ,ais entusiasmo.
Não se esqueça de que nos cumes das montanhas se respira ar mais puro, mais oxigenado; que é nos cumes da própria renúncia  que o homem vai se purificando e tornando-se melhor; que os picos das montanhas são o único lugar habitado pelos santos.

Além de consciente, a graça deverá ser crescente; você não pode contentar-se com ser amigo de Deus; deve aprofundar cada vez mais essa amizade. “Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz seu senhor. Mas chamei-vos de amigos, pois vos dei a conhecer tudo quanto ouvi de meu Pai” (Jo 15,15)