Andaimes e construção

Andaimes e construção

ANDAIMES E CONSTRUÇÃO

Nos fundos do pátio, onde moro, está surgindo um edifício.
Faz quase um ano que um punhado de valentes pedreiros lá trabalha, dia após dia, noite adentro.
O edifício sobe aos poucos, palmo a palmo, metro a metro.
Eu nunca acompanhara, assim de perto, todo o complexo e lento ritual de um grande edifício em construção, desde sua
base inicial.
Ultimamente, fixei-me num pormenor: os andaimes do edifício que surgem, nos fundos do pátio onde eu moro.
Os andaimes sobre à medida que o prédio se eleva. Andaimes modernos, com todas as cautelas de segurança. Empilhar
tijolos, embutir janelas e aprumar paredes, a 50, 80 ou 130 metros de altura, têm lá seus riscos, suas vertigens, seus perigos constantes. São uns valentes, estes obreiros das grandes altitudes!

O prédio que vi surgir, desde seus fundamentos, está quase pronto: 32 andares. E os andaimes estão desaparecendo, gradativamente.
Foram úteis mas já estão sobrando agora.
Cumpriram sua tarefa. Na parte externa, o edifício foi concluído. O acabamento interno, onde os operários trabalham agora, não reclama andaimes.

Andaimes e construção...
Acompanhando de perto o nascimento daquele grande edifício de 32 andares, a ilação brotou-me espontaneamente...
Deus é o verdadeiro arquiteto do universo, o grande engenheiro do mundo, da vida.
Mas ele convidou-nos a colaborar na construção do mundo, da história, da civilização.
Vejo milhões de seres humanos empenhados seriamente na tarefa que Deus nos outorgou. Gente séria, comprometida com a obra, dos pés à cabeça.

Penso em mim mesmo. E sinto-me com jeito de andaime...
Andaime ajuda, Andaime cumpre serviço.
O prédio da vida, do mundo, da história...
É Deus quem constrói, basicamente. Como arquiteto-mor, como engenheiro principal. Nós, homens, entramos como
andaimes...
O andaime não é essencial, mas ajuda, complementa.
Por isso mesmo, o andaime é humilde. Faz o serviço, cumpre a tarefa e depois se retira ou é retirado...

Senhor, às vezes quero fazer tudo sozinho, sem ti.
Outras vezes, penso que realizas tudo sozinho e não
Precisas de mim.
Que eu aprenda, Senhor, a lição dos prédios: meu papel é ser andaime!
Humilde, mas necessário também, nas construção da vida, do mundo, da civilização!
É tão gratificante ser andaime. Um simples andaime. Nada mais.