15 de janeiro de 2019

15 de janeiro de 2019

15 de janeiro de 2019

A dor tem seu aspecto amargo, mas o tem também doce; tudo dependerá do lado por onde olhemos.
É duro trabalhar muitos dias semeando a semente e cuidar dela; mas é agradável colher os frutos; é duro passar horas a fio estudando, mas é agradável receber o título e o diploma; é duro realizar esforços e mais esforços para construir a casa, mas é agradável ter em seguida seu próprio lar; é duro fazer qualquer esforço, mas logo é muito agradável gozar do fruto dos esforços empreendidos.
Para chegar a ser bom de verdade, temos que realizar também grandes esforços, conseguir penosas vitórias, porém em seguida podemos usufruir a alegria de vir a ser o que devemos ser. Que não nos desanimemos os esforços que se devem realizar; alentem-nos, muito pelo contrário, os resultados conseguidos por esses esforços.

 

Deus permitirá êxitos e fracassos; mas não nos pede nem uns nem outros; Deus só nos pede nossa ação apostólica; quanto ao mais, corre por sua conta. “Assim nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas só Deus, que faz crescer” (1Cor 3,7)