16 de janeiro de 2019

16 de janeiro de 2019

16 de janeiro de 2019

As dificuldades foram feitas para vencê-las e não para deixar-se vencer por elas; porque na vida, queira ou não queira, você encontra grande número de dificuldades.
Não tema os golpes da dificuldade; às vezes são duros, são cruéis, mas o atleta não se faz entre lençóis, e sim, nas pistas. O sábio não provém das diversões, mas dos estudos. O santo não é fruto de contemplações, mas de vencimentos; o homem não se faz entre doçuras, mas lutando contra a dificuldade.
Os espartanos com freqüência açoitavam seus filhos, para fazê-los fortes e resistentes; e foi desta maneira que chegaram a ser aquele esforçado povo que não se deixava vencer.
A custa de chicotadas de sacrifícios você se tornará home e chegará a ser santo.

 

Sua alavanca será a oração, mas também o sacrifício, que o levará a negar-se muitas coisas, e isso por amor; por amor a Deus e por amor aos irmãos. “Sem efusão de sangue não há perdão” (Heb 9,22). Sem a morte de Cristo não teríamos gozado a Vida, e sem sua própria imolação, sem a sua alavanca de sacrifício, alguns de seus irmãos não receberão a graça.
A cruz não pesa quando estamos com espírito alegre, de alma em flor, pois matizes da graça não só dão formosura, mas sobretudo força.