A pequena cigana

A pequena cigana

Havia uma vez um grande pintor. Ele tinha sido encarregado de pintar um quadro da crucificação de Jesus, para enfeitar uma igreja. O pintor trabalhava com muita dedicação. Queria que aquele quadro ficasse excelente e estava conseguindo. Uma tarde cansado de trabalhar, saiu da cidade. Foi a um parque e sentou-se próximo do lago. De repente ouviu uma vozinha que cantava.

Olhou e viu uma ciganinha que cantava e dançava para atrair atenção e ganhar algumas moedas.

Que formosa era ela! Que lindo quadro podia pintar com esta ciganinha! Que bem que venderia o quadro!…

- Moça! Disse então o pintor – se você quiser ganhar um dinheirinho, vá ao meu estúdio e pintarei seu retrato. Como você chama?

- Pepita – respondeu a menina com os olhos brilhantes.

- Então Pepita, espero você na quinta-feira bem cedo no meu estúdio, na Rua Alta.

Na quinta-feira, Pepita, se apresentou cedinho, no estúdio do pintor. Olhou admirada para todos os lados.

Mas de repente seus lindos olhos claros ficaram fixados em um único lugar: o quadro de Jesus crucificado, que estava quase pronto.

Ficou imóvel e calada. Mas logo perguntou: Por que estão matando assim a este homem?

-Você não tem nada com isso, sai daí!!!! – disse o pintor aborrecido

-Venha aqui que já vamos começar o seu quadro.

Pepita, assustada, obedeceu.

Mas na quinta-feira seguinte, voltou ainda mais cedo.

Caladinha, foi direto contemplar aquele quadro, todas as vezes que tinha que voltar, fazia o mesmo.

Um dia, não aguentou mais e timidamente voltou a perguntar:

-Diga-me senhor, quero saber uma coisa só e nada mais, por que mataram assim a este homem? Ele era muito mau?

- Não. Ele era muito bom – respondeu o pintor.

Pepita ficou olhando com os olhos arregalados.

- Para que me deixe de incomodar, vou contar pra você essa historia. -disse o pintor de má vontade.

Para ele a historia de Jesus era só uma velha historia.

Não se interessava, só queria pintar, ganhar muito dinheiro e se divertir.

Mas quando a pobre Pepita ouviu a antiga historia, as lágrimas começaram sair como rios de seus belos olhos.

O pintor se surpreendeu um pouco e também se sentiu comovido, mas em seguida começou a fazer outra coisa.

Chegou o ultimo dia em que Pepita devia posar. O Pintor foi sacar o dinheiro para pagá-la. Como de costume, Pepita, mal teve um tempo livre, correu para contemplar o quadro da cruz.

Quando o pintor voltou, a pequena cigana se voltou, o olhou com os olhos banhados em lagrimas, e lhe disse:

- “Jesus fez tudo isso por você”…. e o que você fez por Ele?

O pintor comovido abaixou a cabeça por um momento e logo disse com a voz rouca:

“-” Vai embora “Pepita”.

Alguns dias se passaram. As palavras de Pepita martelavam dentro do coração do pintor “Jesus fez tudo isso por você”…. e o que você fez por Ele?

Uma noite, olhando o céu estrelado, sentiu que um rio de lagrimas começava a brotar do seu próprio coração.

Com a voz tremula começou a dizer:

”Meu Senhor…. tenho ido pra tão longe de Ti, desperdicei a minha vida no pecado e fugi do Teu Amor. Perdoa-me, e lava-me  com teu precioso sangue. Entra no meu coração Jesus, quero que sejas o meu Senhor!” A paz do Senhor inundara o coração do pintor. Ele tinha nascido de novo naquele instante.

Desde dessa maravilhosa noite em que ele encontrou Deus, o pintor começou a pensar:

-O que posso fazer para demonstra-lhe o meu amor e gratidão querido Senhor?

De repente veio uma ideia ao seu coração: Pintaria um quadro. Um quadro diferente.

Então pintou o rosto de Jesus com sua cabeça inclinada e ferida sob a coroa de espinhos.

Enquanto o pintava, às vezes parava para enxugar as lagrimas, porque desta vez pintava com todo seu coração.

“Aos pés do quadro escreveu essas palavras” Jesus fez tudo isso por você…. e o que você fez por Ele?

O belo quadro ficou pendurado em uma galeria de arte.

Muitas pessoas, ao contemplá-lo, foram tão comovidas que se voltaram para Deus.

Passado muito tempo, numa noite muito fria o pintor estava confortavelmente sentado em sua casa quando bateram a sua porta.

Era um homem pobre, de olhos escuros.

- Senhor pintor – disse o homem – por favor, venha comigo. No acampamento cigano há uma pessoa doente que pede para vê-lo.

O pintor sem perguntar nada, se agasalhou e seguiu aquele homem na noite escura. Chegaram ao acampamento.

Entraram em uma tenda pequena, iluminada apenas por uma vela. Deitada entre umas mantas no chão havia uma jovem.

O pintor se ajoelhou para vê-la melhor e então disse:

-“Pepita, é você?”.

Com uma voz muito fraca lhe respondeu,

- Sim, senhor… chamei-lhe para que me diga… se esse homem do quadro…. Morreu também por mim….

- Sim, minha filha – respondeu o pintor emocionado – Jesus morreu também por você.

- Eu fiz coisas muito más, disse Pepita.

- Eu também Pepita, disse o pintor.  Mas Jesus morreu para nos limpar de todo pecado. Só tem que pedir para Ele, e sabe filha? Ele está aqui ao seu lado. Porque Ele não ficou morto, voltou a viver ao terceiro dia, porque ELE É DEUS.

Ele está aqui Pepita. E quer te perdoar, te abraçar muito forte e quer levá-la a viver com Ele lá em sua bela casa onde não existe dor.

Pintor e Pepita de mãos dadas começaram a falar com Jesus.

Pepita sorria e dizia “TUDO ISSO FIZESTES POR MIM.” “TUDO ISSO FIZESTES POR MIM.”.

Obrigado Senhor Jesus, obrigado.

E na madrugada, Pepita tranquila e feliz como nunca, foi viver para sempre com Jesus.

O pintor saiu da pequena tenda e olhando ao céu, já estava amanhecendo e repetiu suavemente:

“Obrigado Senhor Jesus, OBRIGADO porque hoje pude fazer algo por Ti”.