Fé

Você costuma queixar-se de que não tem fé. Talvez não saiba situar-se na noção de fé e menos ainda na realidade da fé.

Para crer em Deus, é preciso despojar-se de si mesmo, é preciso reconhecer que somos fracos, é preciso confessar a nós mesmos nossa miséria, a pouca coisa que somos.

Como a você custa muito fazer isso, por isso você tem tantas dificuldades para ter fé.

Outras vezes você pode estar atravessando o que se chama uma crise de fé; está desanimado; tem vontade de mandar tudo às favas.

Mediante esta crise, Deus quer levá-lo a crer virilmente, não com uma fé de criança, com uma fé sem consciência e sem responsabilidade, mas com uma fé adulta, uma fé de compromisso.

Em resumo: só e unicamente a fé.

Assim sendo, quando a fé parece perdida, pode ser que você a tenha mais arraigada, mais pessoal, mais consonante com a sua própria vida; quando parece morta, pode estar mais viva. Você sabe muito bem: só quando já não tiver nada, quando, sobretudo, não tiver a você mesmo, é que poderá começar a ter fé.

“Assim damos ainda maior crédito à palavra dos profetas, à qual fazeis bem em atender, como a uma lâmpada que brilha em um lugar tenebroso até que desponte o dia e a estrela da manhã se levante em vossos corações ” (2Ped 1,19).

Fonte: Família Católica (net)