Amor eterno

Amor eterno

 

“O amor é sempre uma escada de ouro pela qual o coração sobe ao céu.”

Emanuel Geibel

 

Aquela senhora estava com muita pressa. Entrou em um shopping Center para comprar alguns presentes de última hora para o Natal.

Havia muita gente ao redor e ela ficou incomodada com a situação. Pensou consigo mesma: “Ficarei aqui por uma eternidade e tenho tantas coisas a fazer!”.

Um tanto depressiva, ela pensava em como o Natal estava se transformando em um grande comércio.

Andou rápido por entre as pessoas e entrou numa loja de brinquedos. Mais uma vez se surpreendeu reclamando dos preços.  Perguntava-se se seus netos realmente se importavam com aquilo.

Partiu para a seção de bonecas. Em um dos corredores encontrou um menino, de aproximadamente cinco anos, segurando uma boneca bem cara.

Estava tocando seus cabelos e a segurava com muito carinho. A senhora não pode conter-se e ficou olhando a cena fixamente, perguntando-se para quem seria aquela boneca.

Em seguida, aproximou-se do menino uma mulher a quem ele perguntou: “Não tenho dinheiro suficiente, tia...” E a mulher lhe falou impaciente: “Você já sabe que não tem dinheiro suficiente para compra-la!”

Depois disse ao menino que permanecesse onde estava, enquanto ela buscava outras coisas que lhe faltavam, e o menino continuou ali, segurando a boneca com muito carinho.

Após algum tempo, a senhora se aproximou e perguntou-lhe para quem era a boneca e ele respondeu: “Esta é a boneca que minha irmãzinha queria muito ganhar no Natal”.

“Ela estava certa de que a ganharia neste Natal” – disse o garoto com certa tristeza.

A senhora se compadeceu e disse ao menino que, no Natal, levaria a boneca para sua irmãzinha, mas ele falou: “Não, a senhora não pode ir onde minha irmãzinha está”.

Eu tenho que entregá-la a minha mãe para que ela leve até a minha irmãzinha”.

“E onde está sua irmã?”

O menino, com um olhar de tristeza, disse: “Ela se foi com Jesus. Meu pai me disse que a mamãe se encontrará com ela em breve”.

A mulher sentiu um grande aperto no coração. E o menino continuou:

“Pedi ao papai para falar com a mamãe para que ela não se vá. Disse-lhe para pedir a ela que espere que eu volte do shopping.

Em seguida, o garoto tirou do bolso algumas fotografias que tinham sido tiradas em frente ao shopping e falou: “Vou pedir ao papai que leve estas fotos para a minha mãe, para que ela nunca se esqueça de mim. Gosto muito da minha mãe, não queria que ela partisse. Mas o papai disse que ela tem que ir encontrar a minha irmãzinha”.

Enquanto o pequeno olhava a foto, a senhora tirou da carteira algumas notas e pediu a ele que contasse o dinheiro novamente.

Ele contou outra vez e disse satisfeito: “Estou certo de que será suficiente. Agora posso comprar a boneca”.

Acrescentou: “Acabei de pedir a Jesus para que me desse dinheiro suficiente para comprar esta boneca para a mamãe levar até a minha irmãzinha, e Ele ouviu a minha oração. Eu pedi, ainda, para que o dinheiro fosse suficiente para comprar também umas rosa branca para a minha mãe, e Ele acaba de me dar o bastante para a boneca e para a rosa. Sabe, minha mãe gosta muito de rosas brancas...”

Em alguns minutos a tia do garoto voltou e a senhora se foi.

Enquanto terminava sua compras, agora com uma disposição bem diferente, ela não conseguia deixar de pensar naquele menino. Lembrou-se de uma história que havia lido num jornal, dias antes, a respeito de um acidente causado por um condutor alcoolizado, no qual uma menininha falecera e a mãe ficara em estado grave. Deu-se conta de que aquele menino pertencia àquela família.

Dois dias depois, ela leu no jornal a notícia de que a mulher acidentada havia morrido.

Não conseguia tirar o menino da mente... Comprou um buquê de rosas brancas e levou ao funeral...

Lá estava o corpo de uma mulher... Com uma rosa branca numa das mãos, uma linda boneca na outra, e a foto de seu filho em frente ao shopping.

Grossas lágrimas rolaram do rosto daquela senhora ao perceber a grandeza do amor daquele menino pela mãe e pela irmã...

Um amor que a morte não conseguiu apagar...

Um amor que vai muito além da existência física...

O verdadeiro amor que Jesus, o Aniversariante tão esquecido, veio ensinar à humanidade.